Oi! Seja bem-vindo!

Hoje vamos trabalhar com uma pergunta fundamental: O QUE é banco de dados e PORQUE interessa aprender isso?

É um conteúdo introdutório, porém bastante divertido (na minha opinião nerd… rsrsrsrs) e importante para quem está começando agora ou pensando em começar. Vamos lá?

Porque aprender Banco de Dados

Acho que a primeira pergunta é: Porque, afinal de contas, vale a pena aprender sobre banco de dados?

Bem, é que no mundo digital que vivemos atualmente, praticamente todas as informações relevantes ao nosso dia a dia são salvas em algum tipo de banco de dados.

 

Armazenando dados de redes sociais até mecanismos de pesquisa ou informações da sua fatura de telefone, os bancos de dados estão em toda a parte.

Com essa diversidade de aplicações, já pensou se uma empresa ou governo perder o seu banco de dados? Caos e falência seriam as palavras de ordem…

 

É por isso que as empresas precisam tanto de profissionais que saibam trabalhar com banco de dados. Não importa a sua profissão, as informações que você usa estão em um banco de dados, e saber trabalhar com essa tecnologia vai te dar uma grande vantagem competitiva. Não só na hora da entrevista, mas também no dia a dia de trabalho.

 

O que é Banco de Dados

Agora que já temos motivos para nos aprofundar mais, vamos ver o que é banco de dados?

Recordo que na faculdade, na primeira aula de banco de dados um colega perguntou: Mas porque alguém vai querer guardar informações em banco de dados se já temos tantas outras formas. A questão é que com a quantidade de informações que temos atualmente, somada a quantidade de pessoas trabalhando nessas informações, manter dados em arquivos físicos tornou-se inviável devido a desordem.

 

E digitaliza-los, não resolve? Inicialmente sim, principalmente para pequenos negócios, porém com o tempo a “bagunça” acabou sendo apenas transferida do meio físico para o eletrônico.

 

Para resolver o caótica e crescente volume de dados, os bancos de dados foram introduzidos para as aplicações mais diversas, com a proposta de solucionar os seguintes pontos:

1) Padronização do acesso: Ao invés de usarmos softwares e arquivos diferentes para cada tipo de informação, em um banco de dados usamos uma única interface para gerir todas as informações.

2) Segurança do acesso: Em um banco de dados é possível determinar quem acessa o que, e auditar exatamente quem fez o que.

3) Integridade das informações: No banco você pode criar regras que impedem salvamento incorreto ou duplicado de informações.

4) Escalabilidade: Um banco de dados é arquitetado para trabalhar com grandes volumes de dados.

5) Trabalho em equipe: Nos arquivos em geral, só 1 pessoa pode editar por vez. Porém em um banco de dados muitas pessoas podem trabalhar simultaneamente.

 

Como funciona um Banco de Dados

 

Um banco de dados possui 3 elementos principais:

1) Arquivos de dados: Assim como o Word e Excel, as informações de banco de dados são salvar em arquivos. A diferença é que dentro desses arquivos podemos salvar qualquer tipo de informações. De textos a imagens, os bancos de dados modernos permitem que as informações sejam geridas na plenitude a partir de uma só interface.

2) SGBD – Sistema Gerenciador de Banco de Dados: É um conjunto de programas que intermedia o acesso aos arquivos de banco de dados, e apresenta as informações que existirem dentro desses arquivos de forma amigável para nós humanos, normalmente organizando as informações em tabelas assim como no Excel.

3) Linguagem de conversação: É a linguagem para nós humanos nos comunicarmos com o SGBD para trabalhar com as informações guardadas nos arquivos de banco de dados. A maioria dos bancos de dados trabalham com SQL (Structured Query Language), que é uma linguagem padronizada internacionalmente pelas instituições ISO (International Organization for Standardization) e pelo ANSI (American National Standards Institute).

 

Como falar a linguagem de um Banco de Dados

Embora SQL seja um padrão internacional, cada um dos desenvolvedores de banco (ex: Microsoft, Oracle, IBM, etc…) deu uma personalizada na linguagem SQL para melhor atender seu software. Isso gerou o aparecimento de “dialetos de SQL”, assim como ocorre nas línguas faladas por nós humanos. Exemplo:

– Transact-SQL é a linguagem SQL do banco de dados SQL Server da Microsoft.

– P/L SQL é o dialeto usado pelo Banco Oracle, desenvolvido pela empresa Oracle.

 

Os comandos SQL padrão, que foram mantidos conforme a definição original da ISO/ANSI são entendidos por praticamente todos os SGBDs, porém alguns comandos que você verá por ai são entendidos somente por um banco de dados ou outro. Por exemplo: O Comando GO pertence ao mundo Microsoft, enquanto o comando DESC ao mundo Oracle.

 

Independente do dialeto, a linguagem SQL divide-se em 3 grupos:

1) DDL: Data Definition Language: Comandos para definir objetos e administrar o banco de dados, exemplo: create, alter e drop.

2) DCL: Data Control Language: Comandos para controlar o acesso aos dados, exemplo: grant, revoke e deny.

3) DML: Data Manipulation Language: Comandos para manipular dados, exemplo: select, insert, update e delete.

 

Os dois primeiros grupos são voltados a pessoas dedicadas a trabalhar com banco de dados, já o terceiro, é interessante para pessoas de quaisquer profissões porque:

– Acessando informações diretamente no banco, você consegue entender e resolver problemas relacionados a informação de forma mais rápida, uma vez que você verá os dados como estão salvos ao invés de eventualmente transformados pelas aplicações.

– Você poderá criar rapidamente consultas e relatórios de apoio a decisão.

– Você poderá prevenir erros ao conferir e conciliar informações salvas no banco de dados pelas aplicações.

 

CONCLUSÃO e RESUMÃO

= O que é um banco de dados?

É um repositório sistêmico para viabilizar o gerenciamento seguro de informações digitais. Um banco é composto de 3 partes: Arquivos, SGBD, e linguagem de conversação. O SGBD é um conjunto de programas que gerencia os arquivos. A linguagem de conversação é a forma como nós humanos podemos interagir com o SGBD para gerenciar as informações salvas nos arquivos. A maioria dos bancos falam SQL, que é uma linguagem padrão dividida em DDL, DCL e DML. Apesar de SQL ser uma linguagem padronizada, existem dialetos dependendo do fornecedor.

 

= Porque interessa aprender sobre banco de dados?

Na era da informação a maioria dos dados estão em bancos de dados e isso naturalmente aumenta a demanda por pessoas que conheçam essa tecnologia. Independentemente de nossa profissão atual, saber pelo menos DML vai aumentar nossa empregabilidade e facilitar nosso dia a dia.

 

Espero que você tenha gostado do artigo e compartilhe com seus amigos que também querem melhorar de vida usando o SQL!

 

Abraço do seu amigo Josué 🙂

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *